A Renault marcou história após convidar a modelo Aseel Al-Hamad  para pilotar o carro Lotus antes do GP da França. O fato da comemoração é que o país da convidada é mega-conservador, e depois de muita luta as mulheres ganharam o direito de dirigir.

Como é de costume, a pré-corrida de cada GP conta com vários carros da história do automobilismo, hoje foi a vez da Renault. Mas entre os escolhidos haviam uma em especial: Al-Hamad, membro da diretoria da Federação de Automobilismo da Arábia Saudita.

Ela completou uma volta do circuito com o carro utilizado por Kimi Raikkonen no GP de Abu Dhabi quando defendia a escuderia na F1.

Foi a primeira vez que uma mulher da Arábia Saudita dirigiu um carro de F1 de forma legal e foi justamente no mesmo dia em que o país derrubou uma medida que proibia as mulheres de atuar no automobilismo. Al-Hamad, que também é membro da Comissão Feminina de Motorsport da FIA,  participou de uma experiência da Renault no circuito no último dia 5.

Em uma rápida entrevista para o Autosport, sobre a experiência e a mudança na lei  ela disse: “É um lindo gesto da Renault e da F1 apoiar um dia histórico na Arábia Saudita”.

“Estou aqui como embaixador do meu país e espero ter feito o meu melhor hoje. Essa é a melhor maneira de iniciar um novo ciclo, uma nova era.”, dizia ela empolgada.

A Arábia Saudita não tem história significativa no automobilismo, mas sua capital, Riyadh, sediou a Corrida de Campeões no ano passado e a será o palco da estreia da temporada 2018/19 da Fórmula E.